Menino Deus

Menino Deus
"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós " (João 1,14)

«Quanto mais Me honrardes, mais Eu vos favorecerei».

Menino Jesus de Praga

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Contemplando o Menino Jesus


Todos devemos procurar sermos amigos do Menino Jesus e amá-lo como crianças amigas amam: de modo simples e sincero. E, assim como o objeto amado transforma o amante tornando-o semelhante a Si, temos esperança de que o nosso amor ao Menino Jesus nos transforme em meninos bons.
Em função da proximidade do Natal, gostaria de falar-lhes sobre o Menino Jesus.  As meditações sobre o Menino Jesus são profundamente frutíferas, pois, rememorando a inocência do Menino Jesus, fazendo-a presente em nós, é mais fácil termos horror a nossa maldade, ainda tão profundamente enraizada em nossas almas. Trazer à memória a fragilidade e a inocência do Menino Jesus nos ajuda a secar a raiz e a seiva da árvore dos vícios. Sua raiz: o orgulho… a seiva: o egoísmo.

Para sermos amigos do Menino Jesus, temos que frequentar a sua casa, visita-la com diligência e assiduidade. Como bom filho o Menino Jesus está sempre em casa … e nunca disperso. Ora, como o Menino Jesus é hoje um pequeno Menino, sua casa é assistida por sua Mãe, Nossa Senhora. E é Ela – sempre Ela – que nos abre a porta para que possamos brincar e conviver com o Menino. Colocamo-nos assim sob a guarda da Virgem, e só então temos liberdade na casa do Menino. E eis aqui um consolo: brincar com o frágil e pequenino Menino Jesus é – necessariamente – estar sob a proteção do Véu poderoso de Nossa Mãe Santíssima!  E tudo que fazemos … fazemos sob seu olhar zeloso e atento.
Brincar com o Menino Jesus é muito mais do que brincar com aquele garoto, que certamente existe na memória de cada um de nós e que era conhecido como o “dono da bola”. Aquele nos fornecia não somente a ocasião de brincar, como também o procurado brinquedo: a bola. Brincar com o Menino Jesus é brincar com aquele que é dono de tudo, de todas as bolas, de todas as esferas, inclusive as celestes. É brincar com aquele que rege todas as jogadas … todos os ciclos, rege todos os campos e todos os tempos.  E com todo esse poder não deixa de ser … Menino! Como é possível tal milagre? Um Deus Todo Poderoso que se faz menino para que assim não tenhamos dEle medo, mas ao contrário, tenhamos compaixão… Tenhamos um verdadeiro amor. Como Menino não nos ameaça, como Menino ele nos convida para brincar.
É bom termos isso em mente. Afinal, para brincar é necessário um repouso de alma, uma tranquilidade na ordem: é necessário paz, em contraposição à tensão de ânimo necessária para a execução das atividades quotidianas. Ao lado do Menino, temos a disposição de alma necessária para contemplá-lo.
Mas qual será a brincadeira ou jogo que podemos fazer com o Menino Jesus? Jogo com bolas? Com cordas? Com pipas? Afinal, o que é melhor e mais adequado? Com o menino Jesus temos uma brincadeira um tanto diferente… Assim como um pai contempla o seu filho recém-nascido e se admira de cada detalhe de seu ser, do detalhe dos seus olhinhos, de seus dedinhos… Assim também nós com o Menino Jesus contemplamos cada detalhe, meditando. Essa admiração, que nasce do reconhecimento do que o Menino é, faz nascer em nós o desejo de brincar.
E então nos surpreendemos brincando com a criança, brincamos com o delicado toque da ponta dos dedos que busca contemplar também o sorriso da criança… Assim também nós brincamos com o Menino Jesus. Brincamos com Ele contemplando-O… E cada movimento de nossa alma tem por fim desvendar os detalhes daquele Ser espetacular e maravilhoso. Daquele Ser pequenino que encerra em Si toda a perfeição.
Os movimentos que tem origem em nossa alma buscam – naturalmente – o reconhecimento do que a criança é. Esse reconhecimento causa, em nós, ternura. E assim descobrimos mais e mais a inocência da criança. Não satisfeitos com uma brincadeira, repetimos o movimento. As pontas de nossos dedos tocam novamente a criança, na esperança de faze-la sorrir e descobrirmos, então, como são seus movimentos mais delicados e espontâneos.
Brincar com o Meninos Jesus é contempla-Lo. Essencialmente, contempla-Lo. Buscar em seu sorriso delicado e sereno uma compreensão maior sobre o que Ele é… Afinal como é possível o Onipotente ser assim tão frágil, tão pequeno, tão exposto às adversidades do ambiente?
E por fim conquistamos uma esperança renovada e mais profunda com esse brincar… Esperamos que a contemplação de um sorriso tão sábio e inocente possa nos curar de nossa malícia – tão avessa ao Ser inocente do Menino.
Esperamos um dia, no céu, fazer nossa alma retribuir – adequadamente – também com um sorriso tranquilo e sereno ao Menino Deus, a tudo o que Ele nos entregou e deu.
Encerramos assim a visita ao Menino Jesus, saudando a Mãe e Dona da Casa, que tornou possível esse Milagre dos Milagres.
Salve Maria Santíssima!
Bruno Oliveira

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Ó Meu Menino (música de Eurico Carrapatoso)


Letra:


Menino de Pias
Estribilho/Responsório:
Ponde em nós os Vossos olhos,
Misericórdia, amor!
Coplas/Versos:
Ó meu Menino,
Meu doce Jesus,
Ó meu Redentor,
Salvai-me, Senhor!
Ó meu Menino,
Sorrindo na dor,
Quem tudo sustém,
Do mundo Senhor.
Ó meu Menino,
Que pobre que estais,
Na gruta despido,
Por entre animais.


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Jesus Verbo de Deus - Irmã Kelly Patricia (Letra e Video)


Ó que lindeza és Deus Menino,
do paraíso mimo divino
Em sua face flor da alvorada, brilha da aurora
a cor rosada
Na frontezinha, ó que tesouro, em refulgentes
cachinhos de ouro
E este Menino flor de um só dia, é Deus
eterno! Quem o diria?
O mesmo Verbo fulgor paterno, por quem fez
tudo Deus Pai eterno
Do Onipotente e eterno Filho, que a tudo
anima dá vida e brilho
Toda beleza que a musa e a lira, vão
decantando dele Deus tira 
De Deus fulgores tirou outrora, a linda Virgem
Nossa Senhora
A formosura que o céu ostenta, Dele é
vislumbre que representa
Do anil dos olhos do Filho amado, Deus fez o
belo céu azulado
Tingindo o espaço com mil carinhos, do azul
safira de seus olhinhos
A luz brilhante dos olhos seus, Deus pôs nos
astros que estão nos céus
E são reflexo de seus primores, toda beleza
que têm as flores
Enfim da auréola de seu Jesus, Deus fez os

anjos filhos da luz

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Ladainha do Menino Jesus


Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Deus Pai do céu, tende piedade de nós.
Deus Filho Redentor, tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Filho do Deus vivo, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Filho de Maria, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Luz eterna, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Rei da glória, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Sol da justiça, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Deus amável, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Deus admirável, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Deus forte, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Deus poderoso, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Deus paciente, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Deus obediente, tende piedade de nós.
Menino Jesus, Deus da paz, tende piedade de nós.
Menino Jesus, autor da vida, tende piedade de nós.
Menino Jesus, bondoso pastor, tende piedade de nós.
Menino Jesus, tesouro dos fiéis, tende piedade de nós.
Menino Jesus, manso de coração, tende piedade de nós.
Menino Jesus, sabedoria eterna, tende piedade de nós.
Menino Jesus, caminho e vida, tende piedade de nós.
Menino Jesus, alegria dos anjos, tende piedade de nós.
Menino Jesus, príncipe da paz, tende piedade de nós.
Menino Jesus, nossa verdade, tende piedade de nós.
Menino Jesus, nossa esperança, tende piedade de nós.
Menino Jesus, nossa alegria, tende piedade de nós.
Menino Jesus, nossa confiança, tende piedade de nós.
Menino Jesus, nosso Salvador, tende piedade de nós.
Menino Jesus, rei dos patriarcas, tende piedade de nós.
Menino Jesus, ouvi-nos.
Menino Jesus, atendei-nos.

Oremos:
Divino Menino Jesus, a vós recorremos e suplicamos,
pela intercessão de vossa Mãe, a Virgem Maria,
assisti-nos em nossas necessidade.
arrependemo-nos sinceramente de nossas faltas,
ó bondoso Menino Jesus,
e vos imploramos que
nos fortaleceis em nossa jornada.
Doravante, queremos vos servir com toda fidelidade,
e por vosso amor, nos ensine a amar o próximo,
como a nós mesmos.
Vós que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo. Amém.


Consagração das Famílias ao Menino Jesus



Divino Menino Jesus, nosso Rei e Senhor, prostrados a vossos pés,
nós vos consagramos as nossas famílias.
Concedei-nos a harmonia da Sagrada Família de Nazaré,
para vos honrarmos com uma vida Santa.
Fazei das nossas famílias modelos de vida cristã e familiar,
construtura de uma nova sociedade e de uma Igreja renovada e acolhedora.
Uni os corações divididos, sede o amor dos esposos,
a ternura das esposas, a dedicação dos pais e o carinho dos filhos.
Consolidai as famílias unidas e abençoai os seus membros
na paz e no amor.
Isto vos pedimos, Vós que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo. Amém.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Padre Pio e o Menino Jesus


O Santo Padre Pio tinha uma devoção muito especial pelo Menino Jesus, tão grande que lhe encantava beijar e abraçar uma imagem do Divino Infante que tinha em sua cela em San Gionvanni Rotondo. A Imagem ficou conhecida como "Bambinello dei baci" -"O Menino dos beijos"-, e é considerada uma relíquia do santo italiano. (informação recolhida do site gaudiumpress.org)



O seu grande amor pela Infancia de Jesus se manifestou extraordinariamente em 3 aparições do Santo Menino:

Primeira Aparição: Novembro de 1911

Desde o final de outubro de 1911 até 07 de dezembro do mesmo ano, o Padre Pio residiu no convento de Venafro (Isernia). Foi neste local, em data não precisa, que ocorreu a primeira aparição do Menino Jesus ao Padre Pio. Nesta aparição, o Menino se apresentou com as feridas da paixão de Cristo nas mãos, nos pés e no lado. A visão de Jesus assim ferido representava uma janela para a contemplação do verdadeiro mistério do Natal. Para o Padre Pio, com efeito, o Menino Jesus devia ser visto à luz do Crucificado mostrando, assim, a singular relação do Natal com os eventos da Páscoa.

Segunda Aparição: 20 de Setembro de 1919 

(Aparição testemunhada e documentada em um manuscrito pelo Pe. Raffaele de Sant'Elia que, então estudante de teologia e se preparando para a sua ordenação sacerdotal, ocupava uma cela vizinha à do Padre Pio nesta data) 

'Na noite do dia 19 para 20 de setembro de 1919, não conseguindo dormir, levantei-me assustado. O corredor estava mergulhado na escuridão, quebrada apenas pela débil luz de uma lâmpada a óleo. Assim que abri a porta, vi passar por mim o Padre Pio, todo envolto em luz, trazendo o Menino Jesus nos braços. Ele se movia lentamente murmurando orações. Passou adiante de mim, radiante de luz e sem se dar pela minha presença. Somente alguns anos depois, fiquei sabendo que aquele dia 20 de setembro era o aniversário de um ano do aparecimento dos estigmas do Padre Pio e, portanto, a aparição do Menino Jesus constituía uma referência direta à Paixão de Cristo'.

Terceira Aparição: 24 de dezembro de 1922 

(Aparição testemunhada por Lucia Iadanza, filha espiritual do Padre Pio)

Em 24 de dezembro de 1922, Lucia queria passar a Vigília do Natal junto ao Padre Pio. A noite estava muito fria e os frades tinham levado à sacristia um braseiro com fogo. Junto ao braseiro, Lucia e outras três  mulheres esperavam a meia-noite para assistir a missa a ser celebrada pelo Padre Pio. As três mulheres começaram a cochilar enquanto ela seguia rezando o terço. Padre Pio surgiu então pela escadaria interna da sacristia quando se deteve diante de uma janela. Neste momento, envolto em um halo de luz, apareceu o Menino Jesus e se pôs nos braços do Padre Pio, cujo rosto tornou-se radiante de luz. Quando a visão desapareceu, o padre percebeu a presença de Lucia, que o fitava atônita e lhe disse: 'Lucia, o que você viu?' Lucia respondeu: 'Padre, eu vi tudo'. Padre Pio, em seguida, a advertiu com firmeza: 'Então não diga nada a ninguém'.




sexta-feira, 26 de agosto de 2016





"Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos de alcançar as promessas de Cristo"